O sol nasce e se põe todos os dias, temos a chance de fazer isso com as nossas próprias vidas ! Obrigada Jesus por essa rica oportunidade!

24 de jan de 2014

Estou de volta!

Nossaaaaaa como estou sumida ! Hoje me deu uma super vontade de escrever , quando cheguei aqui no blog, notei que o último post, a Luiza estava com 3 meses. Hoje elá está com o pezinho no13º mês.

Bom, acredito que o que importa é que o desejo de escrever, está voltando e bem provável que junto com ele, euzinha aqui, retome as minhas atividades, como por exemplo, voltar a atuar como Dra Risoquita(tem textos sobre as minhas atuações aqui no blog) , ou então quem sabe, retomar a minha yôga que me fazia tão bem!

Só quem é mamãe de bebê pequeno sabe o quanto esse primeiro ano de vida dos pimpolhos nos ocupa, física e mentalmente . São tantos sentimentos juntos e misturados, tantos conflitos e tanto amor que as vezes da a sensação de que vou explodir!

Junto com o ser mãe imediatamente vem as culpas, as dúvidas, os medos e as alegrias.Vem as questões, as regras que de certa forma nos são impostas, o pavio que deveria ser looooongo mas que muitas vezes está curtinho cutinho...dá um remorso depois, como se ser mãe te trouxesse junto todo o equilíbrio e de uma hora para a outra você passa a se tornar um "zen budista" . Isso não existe, pelo menos comigo não existiu, não me tornei uma pessoa mega equilibrada , que só sabe falar baixinho, que o choro compulsivo da minha filha não me tira do sério, eu não me tornei uma mãe diferente do que eu era antes. Nunca fui uma pessoa calminha e super equilibrada! O que sim me tornei, foi melhor, hoje por ela eu busco me modificar, eu tenho tentado ao máximo não perder o controle, e quando isso acontece, choro, fico arrasada, peço mil desculpas a ela, e aos meus amigos do alto, fico com culpa por uns 2 dias e passa. Tento tirar disso uma lição para outras situações que me tirarão do sério .

Quem disse que ser mãe é ter paz , é ter calmaria e ser a pessoa mais serena do mundo?! Quem disse que nós mães não podemos sim perder um pouco o controle, sem exageros claro, sem se quer ralar um dedinho naquele serzinho que é tão indefeso e tão dependente de nós . O que tento dizer aqui, é que mais uma vez, a dita sociedade nos impõe regras, e quando você se vê tomando atitudes contrárias a essas regras, se sente um E.T.

A cada dia que passo ao lado da Luiza, sou grata ao Pai da vida por ter me dado ela de presente, a cada dia aprendo mais e a cada segundo me observo e vejo o que posso modificar em mim por ela! Eu aqui na minha sabedoria mínima, acredito que as mudanças em ser mãe não se fazem assim, de um dia pro outro e sim ao caminhar!

Fico por aqui e espero voltar em breve!
Tenham um ótimo final de semana !


Nenhum comentário:

Postar um comentário