O sol nasce e se põe todos os dias, temos a chance de fazer isso com as nossas próprias vidas ! Obrigada Jesus por essa rica oportunidade!

20 de mar de 2011

Dar uma chance a Paz

Extrai esse texto do site : http://www.cre.esp.br
Por Prem Rawat

Quando a intolerância atinge dimensões incontornáveis, quando as razões para guerrear se tornam maiores do que a sagrada paz, surgem as guerras. As guerras se instalam quando deixamos de reconhecer o valor da existência.

Os líderes mundiais tentam estabelecer a paz, mas não se trata de um problema institucional. São os seres humanos que dão inícios às guerras. Antes que uma guerra se inicie fora, já começou dentro das pessoas.

A guerra interior é mais perigosa, pois seu fogo talvez nunca se apague. As pessoas guerreiam porque não encontram paz dentro de si, porque não permitem que ela se produza. Todos nós estamos buscando algo. Podemos chamá-lo de sucesso, de paz, de amor ou de tranqüilidade, mas se trata da mesma coisa. E se damos tantos nomes diferentes para o que estamos buscando, é só porque não sabemos do que precisamos. Tentamos encontrar o que precisamos olhando à nossa volta. Para saber onde encontrar o que buscamos, precisamos primeiro nos perguntar onde podemos encontrá-lo. Alguma vez já pensamos em procurar dentro de nós?

Viver não é tarefa fácil, especialmente se quisermos da vida o que ela tem de melhor. Para isso, é preciso garimpar... garimpar não é fácil. Temos que garimpar o que precisamos e deixar para trás o que não serve. Se quisermos encontrar paz, então precisamos buscar o que é precioso e descartar o que não é.

O que estamos procurando não está lá fora. Está dentro. Sempre esteve e sempre estará... É bom sentir-se contente, e não é à toa... É bom sentir paz, e não é à toa. A paz já está aqui e reside no coração de cada ser humano.

A paz é pra ser sentida. Uma de nossas faculdades mais incríveis é poder sentir. Quando, diante dessa capacidade de sentir, trazemos a paz, o que sentimos é paz. Estamos aqui para encher-nos de amor, gratidão e entendimento. Levamos dentro de nós uma chama tão brilhante que, mesmo na noite mais escura, ela pode cobrir nosso mundo de luz. Esta luz espera ser encontrada.

A paz não faz distinções. Para ela não importa se somos ricos, se somos pobres, a que religião pertencemos, em que país vivemos. A paz está esperando ser encontrada. Esperando por, mais uma vez, sentir-se integrada, e não afastada por todos os problemas que dividem nossas vidas.

A paz está quando o coração deixa de viver na dualidade, quando o conflito interno se resolveu. Quando a paz chega ao coração, a serenidade a acompanha. O amor jorra abundante, desmedido. A alegria não pode ser contida; irrompe por todo lado porque é legítima. Assim é a paz.

A paz precisa ser sentida. O amor precisa ser sentido. A verdade precisa ser sentida. Enquanto vivermos, o anseio de sentir-se bem, de sentir alegria, sempre estará presente, e, uma vez presente, será preciso descobri-lo. A vida é uma jornada. Somos passageiros neste trem chamado vida e vivemos no momento chamado agora... É tão bonita essa jornada que nem precisa de um destino. Para essa jornada, ganhamos uma bússola. A bússola é a sede por estar satisfeito.

A verdadeira jornada da vida começa quando saímos em busca de saciar nossa sede. Essa busca é a mais nobre de todas. Há muitos séculos se faz ouvir esta voz: “O que você busca está dentro de você. A sua verdade está dentro de você. A sua paz está dentro de você. A sua alegria está dentro de você”.

Em nossos corações, a paz é como uma semente no deserto à espera de crescer, de desabrochar.

Quando permitimos essa semente florescer dentro de nós, então a paz externa é possível. Precisamos dar uma chance à paz.